Histórico do Ozônio

1840

1840

O ozônio foi descoberto em 1840 pelo alemão Dr. Christian Friedrich Schoenbein, que observou um odor característico quando o oxigênio era submetido a uma descarga elétrica.

1857

1857

O físico alemão Dr. Werner Von Siemens, desenvolveu o Gerador de ozônio, através de descargas elétricas em átomos de oxigênio.

1893

1893

O ozônio foi reconhecido na Europa como desinfetante da água para consumo humano ou em atividades sanitárias na desinfecção de ambientes.

1896

1896

Nikola Tesla registrou a primeira patente mundial para um gerador de ozônio por descarga de corona. E estava formada a Tesla Ozone Company.

1957

1957

O ozônio na forma gasosa foi aprovado pelo USDA (Ministério da Agricultura Americano) para melhorar a sanidade para o armazenamento de carne pelo USDA.

1975

1975

O tratamento de ozônio reconhecido pelo FDA para ser uma Boa Prática de Fabricação-BPF (em inglês: Good manufacturing practices-GMP) para a indústria de água engarrafada.

1997

1997

Um grupo de especialistas em ciência da alimentação, tecnologia do ozônio declaram o status geralmente reconhecido como seguro (GRAS) para o uso em alimentos.

2001

2001

O FDA reconhece o ozônio como aditivo seguro e adequado para desinfecção de alimentos, equipamentos e suas áreas de processamento.

2002

2002

O USDA, órgão americano similar ao Ministério da Agricultura concede a aprovação GRAS para produtos agrícolas incluindo todos os tipos de carnes, grãos e frutos.

2003

2003

A CONDBRÁS Industria de condimentos, inicia em escala industrial a utilização do gás ozônio para a descontaminação de especiarias com autorização da ANVISA.

2005

2005

A Dra Leda Rita D’Antonino Faroni da Universidade Federal de Viçosa, inicia as pesquisas da viabilidade do gás ozônio como substituto ao gás fosfina.

2011

2011

A portaria 2914 através do seu artigo 35 aprova o uso do ozônio para tratamento de águas potáveis.

2017

2017

Após 8 anos de pesquisa a myOZONE lança o primeiro gerador de ozônio por plasma do Brasil.

2017

2017

O Ministério da Agricultura, através da IN 30, possibilita a entrada de inovações tecnológicas, como o ozônio, para processos industriais em produtos de origem animal.