COMO O OZÔNIO AGE EM MICRORGANISMOS?

Por que uma célula morre com o ozônio?

É importante entendermos como o ozônio age em microrganismos e porque uma célula morre com o ozônio. Quando uma célula se estressa por ataque de fungos, vírus ou bactérias, seu nível de energia é reduzido pela fuga de elétrons e ela se torna eletropositiva. Nessa condição em um nível molecular, os elétrons que fogem, são chamados de elétrons livres, que é o mesmo que dizer que estão mais distantes do núcleo do átomo.

O ozônio tem um pequeno elétron livre com carga elétrica no terceiro átomo de oxigênio que procura equilibrar-se eletricamente com outro material, microrganismo com uma carga elétrica negativa correspondente não equilibrada. Ao reagir com microrganismos, poluentes, volta ao seu estado natural: o oxigênio (O2).

Células doentes, vírus, bactérias perigosas e outras patogenias carregam essa carga negativa e atraem ozônio e seus derivados. Células de saúde normal não conseguem reagir com ozônio ou seus derivados, já que possuem carga elétrica equilibrada e um sistema de enzimas forte.

Processo de inativação de microrganismo

O processo de inativação do microrganismo por ozônio é complexo. Ele ataca as membranas e os constituintes das paredes de diversas células e também o conteúdo da célula. Tanto o ozônio molecular como os radicais livres produzidos pelo seu colapso têm um papel importante neste processo.

O microrganismo é morto devido à ruptura ou desintegração da membrana da parede celular, levando à dispersão dos conteúdos da célula. Cada micro-organismo tem uma sensibilidade diferente em relação ao ozônio. Por exemplo, as bactérias são mais sensíveis do que os fungos e leveduras.

Bactérias gram-positivas são mais sensíveis ao ozônio do que organismos gram-negativos, e esporos são mais resistentes do que células vegetativas. Por seu mecanismo de ação que destrói o microrganismo através da dissolução da célula, ele não permite a resistência do mesmo.

Como o Ozônio destrói uma bactéria?

  1. Uma célula bacteriana de bacilo.
  2. O ozônio entra em contato com a parede celular que é vital para a bactéria.
  3. À medida que as moléculas de ozônio fazem contato com a parede celular, o poder oxidativo do ozônio rompe a parede celular criando um pequeno orifício na célula.
  4. Um furo recém-criado na parede celular prejudicou a bactéria.
  5. A bactéria começa a perder a sua forma enquanto as moléculas de ozônio continuam a criar furos na parede celular.
  6. Após milhares de colisões de ozônio em apenas alguns segundos, a parede bacteriana não pode mais manter sua forma e a célula morre.

A oxidação de células bacterianas via contato de ozônio ocorre dentro de apenas 1 à 10 segundos.

Importante: O efeito do ozônio abaixo de um valor correto de concentração é pequeno ou nulo. Acima deste nível, todos os agentes patogênicos são eventualmente destruídos.