COMO O OZÔNIO É PRODUZIDO?

A natureza é sábia: na “camada de ozônio”, a faixa da atmosfera entre 25 e 30km da superfície terrestre, a ação da radiação solar quando entra em contato com atmosfera terrestre, reage com o oxigênio (O2), separando a molécula em dois átomos (2O).

O oxigênio atômico (O) é instável, e se combinam com moléculas do oxigênio (O2) produzindo o ozônio (O3).

O ozônio é o oxidante natural mais potente da Terra: reage com poluentes, controla cor e odor, e é capaz de reduzir ou eliminar a carga microbiana de superfícies, alimentos e água.

Ozônio produzido pelo homem

O método mais comum para a síntese de ozônio é reproduzir o que já ocorre na natureza. O insumo é o oxigênio. O equipamento mais usado para produzir ozônio é conhecido como “gerador de ozônio” ou “ozonizador”, usado no próprio local e instante de aplicação.

A transformação ocorre quando o oxigênio passa através de um reator, conhecido como célula de geração de ozônio, onde existe a Descarga por Barreira Dielétrica ou Geração de Plasma (depende da tecnologia do gerador). Este tipo de descarga é produzido ao se aplicar uma alta tensão elétrica entre dois eletrodos paralelos, tendo entre eles um dielétrico (quartzo ou cerâmica) e um espaço livre, por onde flui o oxigênio.

Neste espaço livre é produzida uma descarga elétrica de alta voltagem em alta frequência, onde são gerados uma grande quantidade de elétrons com energia suficiente para produzir a quebra molecular do oxigênio, formando o ozônio.