Dosagens Seguras de Ozônio em Ambientes de Trabalho

Dosagens Seguras de ozônio em ambientes de trabalho são indicados pela NR 15 e devem ser considerados fatores no ambiente de trabalho como a ventilação e outros elementos que atuam na destruição da molécula de ozônio.

O ozônio em doses mais altas pode causar tosse, dor no peito, falta de ar e irritações na garganta, além de piorar condições de asma. Os níveis dos sintomas variam de acordo com as pessoas sendo que mesmo pessoas saudáveis podem apresentar problemas quando expostas ao ozônio (US EPA. 1996a. 1996b).

Nos Estados Unidos, os geradores de ozônio começaram a sofrer grande pressão da opinião pública americana após os principais órgãos reguladores publicarem normas e leis que regulamentam as quantidades de horas máximas permitidas a certas concentrações do gás em ambiente de trabalho. O próprio EPA através do CRF – Code of Federal Regulaitions Tile 21 permite a exposição máxima de 0,05ppm (partes por milhão do gás). O OSHA (Ocoppational Safety and Health Administration) do Departamento de Trabalho dos Estados Unidos, permite exposição máxima de 0,1ppm (partes por milhão) de ozônio em ambientes de trabalho de 8 horas diárias.

No Brasil, o Ministério do Trabalho através da Norma Regulamentadora (NR 15) indica no Anexo 11 a exposição mínima de 0,08ppm (partes por milhão) para jornadas de trabalho de 8 horas por semana.

A concentração de ozônio produzida por um ozonizador depende de muitos fatores: tamanho da área que será utilizada, capacidade do equipamento, se existe portas abertas ou se existem no local, materiais que reagem com o ozônio.

Por isso os medidores e sensores de ozônio são fundamentais para assegurar a qualidade dos ambientes de trabalho. No entanto em áreas desocupadas, sem a presença de pessoas, o ozônio utilizado em níveis elevados é um excelente descontaminante, agindo sobre microrganismos e gases voláteis além de controlar odores agindo diretamente em sua fonte.

O EPA, OSHA, ANVISA e MAPA não se opõe à utilização do gás ozônio em ambientes fechados desde que esteja completamente inabitado. Recomenda-se instalação de sensores e exautores para garantir a segurança de pessoas no ambiente de trabalho.


SINTOMAS OBSERVADOS NÍVEL DE CONCENTRAÇÃO
Limiar de odor, pessoa normal 0.005-0.02ppm
Limite de exposição média máxima de 8 horas 0.1ppm
Irritação menor nos olhos, nariz e garganta, dor de cabeça, falta de ar >0.1ppm
Tosse, redução do consumo de oxigênio, irritação pulmonar, fadiga severa, dor torácica, tosse seca 0,5-1,0ppm
Dor de cabeça, irritação respiratória e possível coma 1,0-10ppm
Possibilidade de pneumonia grave em níveis mais altos de exposição 10ppm
Imediatamente perigoso para a vida e a saúde 10-15ppm
Letal para pequenos animais dentro de duas horas >20ppm

Recomendações de Segurança

Não se deve confiar no conhecimento pessoal para determinar a dosagem seguro de ozônio. Instrumentação e equipamentos de medição confiáveis e calibrados devem ser fornecidos para medir os níveis ambientais de ozônio e executar as seguintes funções de segurança:

  • Inicie um sinal de alarme em um nível de ozônio ambiente de 0,1 PPM. O equipamento pode permanecer operacional, se desejado.
  • Inicie um segundo sinal de alarme em níveis de ozônio ambiente de 0,3 PPM. Este sinal também iria desligar imediatamente o gerador de ozônio equipamentos de geração. A maioria dos seres humanos pode sentir o cheiro do ozônio muito antes de ser perigoso.